top of page

Gene MDR1


Por: Dra. Jaqueline Oliveira Rosa

A Glicoproteína P (P-gp) é uma bomba de efluxo codificada pelo gene MDR1 (multi-drugs resistence) e sua atividade afeta a concentração de drogas nos tecidos e, portanto, na efetividade e segurança. Devido ao papel predominante da P-gp na disposição de diversas classes de drogas, mutações relacionadas a sua menor expressão alteram as propriedades farmacocinéticas e a consequência clínica mais relevante é o efeito neurotóxico. Uma mutação caracterizada pela deleção de 4 pares de bases (4pb) no gene MDR1 de cães foi associada a formação de uma glicoproteína P afuncional. Nesse caso, ocorre uma baixa regulação, ou seja, uma menor quantidade de P-gp funcionante no organismo, levando a maior biodisponibilidade oral e a redução nas taxas de eliminação renal e hepática, predispondo ainda mais a evolução de quadros de intoxicação.

No caso dos animais portadores da mutação, as concentrações dos medicamentos se elevam, principalmente no sistema nervoso central (SNC), demonstrando os sinais típicos de intoxicação como salivação, depressão respiratória, depressão, decúbito, convulsões, midríase, letargia, cegueira clínica, tremores, coma, morte. Esses sinais foram descritos desde 1983 com relatos de intoxicação de Collies com ivermectina, um dos substratos da P-gp que encontra-se em altas concentrações cerebrais em animais com gene mutante. Outra gama de drogas se mostram elevadas no SNC como: agentes quimioterápicos (doxorrubicina, vincristina, vinblastina), imunossupressores (ciclosporina), anti parasitários (ivermectina, moxidectina), hormônios esteróides (aldosterona, cortisol, dexametasona), antimicrobianos (tetraciclina, doxiciclina, levofloxacina, cetaconazol, itraconazol), analgésicos (morfina, metadona), antidiarreicos (loperamida), antiepilépticos (fenotiazina), glicosídeos cardíacos (digoxina, diltiazem, verapamil, talinolol), entre outros.

Inicialmente a mutação no gene MDR1 foi restrita a raças relacionadas ao pastoreio como Border collie, Pastor de Shetland, Pastor Australiano, Old English Sheepdog e Pastor Inglês. Atualmente, outras raças de trabalho e companhia foram identificadas, como Whippet, McNab, Silken Windhound, Pastor Alemão, Pastor Suíço e Wäller, além de uma porcentagem variável de cães sem raça definida.

O diagnóstico de mutações no gene MDR1 é extremamente importante não apenas para seleção de protocolos terapêuticos, mas também para determinação da dose dos fármacos e na investigação de históricos de intoxicações, uma vez que alguns tipos de substratos são tóxicos apenas acima de concentrações recomendadas.Os médicos veterinários não têm a informação sobre a hipersensibilidade medicamentosa dos animais, a menos que façam o teste. A detecção de possível mutação no gene MDR1 está incluída no teste PetDNA saúde e PetDNA Completo. Saiba mais em (16) 99724-5784.


28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page